Artigo:
       Home         |    Agenda 
 

     Serviços









Incontinência Urinária Feminina


     Incontinência é a perda involuntária de urina da bexiga em situações impróprias, devendo ser objetivamente demonstrável. A incidência de incontinência urinária na mulher aumenta com a idade, atingindo 25% após a menopausa. Estima-se que existam mais de 30 milhões de mulheres incontinentes só nos EUA.
     A perda de urina pode ocorrer de forma transitória, geralmente associada ao uso de fármacos, a infecções (infecção urinária, vaginites), a constipação ou problemas de deficiência hormonal, desaparecendo após o tratamento da causa subjacente; ou pode ser persistente ou definitiva com instalação e piora progressiva. Muitas mulheres tornam-se incontinentes após o parto, histerectomia (cirurgia para retirada do útero) ou mesmo outros traumas na região pélvica.
     Entre os tipos mais comuns de perda de urina existe a incontinência urinária de esforço ou estresse: a perda de urina ocorre quando há um aumento repentino da pressão intra-abdominal como tossir, espirrar, rir, pular, correr ou realizar algum esforço. 
     O diagnóstico é clínico, baseado em uma história detalhada. Durante o exame físico pede-se para a paciente tossir, tentando reproduzir a perda urinária. Também pode ser realizado um teste onde um cotonete é inserido na uretra para determinar sua posição e mobilidade. Um exame de análise da urina deve ser realizado. Um teste urodinâmico vai determinar se existem outras alterações da bexiga e da uretra. 
     O tratamento vai depender do tipo e das causas da incontinência urinária. 
Inclui medidas gerais identificando as possíveis causas da perda de urina, tais como: 

  • Perder peso.

  • Parar de fumar para diminuir a tosse crônica.

  • Tratar a constipação.

O alivio dos sintomas pode ser conseguido: 

  • Com alguns medicamentos específicos.

  • Com a fisioterapia de exercícios para o assoalho pélvico

  • Com o uso de cones vaginais com pesos diferentes.

  • Técnicas atuais incluem o uso de eletro-estimuladores.


     Para a prevenção deve-se instituir a rotina dos Exercícios de Kegel, principalmente após o parto vaginal e após cirurgias sobre a região pélvica. 

 

Voltar
   
UROPASSOFUNDO 2010 © |Todos os direitos Reservados |        Powered By Partners Solutions & Technologys