Artigo:
       Home         |    Agenda 
 

     Serviços









Andropausa

     Andropausa é o quadro clínico que se instala a partir da gradual perda da capacidade dos testículos produzirem testosterona, que é o principal hormônio sexual masculino. Assemelha-se, nesse particular, ao quadro feminino da menopausa em que os ovários da mulher passam a produzir menos hormônios sexuais, por isso a analogia, embora os mecanismos e características sejam muito diferentes entre si. Modernamente outras denominações tentam definir de melhor forma esta síndrome clínica, como: PADAM, ADAM.
     Na chamada terceira idade, ocorre o problema da andropausa, com a progressiva e gradual diminuição da produção de testosterona. Com essa diminuição o homem apresenta sintomas variados, que geralmente não são entendidos corretamente, sendo todos eles debitados quase que exclusivamente à própria idade do homem.
     Na América Latina, existem mais de 6 milhões de homens na andropausa, sendo que apenas algo em torno de 2,5% destes indivíduos são contemplados com alguma forma de tratamento.
     A deficiência de testosterona é determinada, principalmente pelo avançar da idade do homem, e os sintomas mais importantes da Andropausa são principalmente os de ordem sexual, com distúrbios na ereção, ejaculação e falta de libido (apetite sexual), mas também distúrbios e alterações cardiovasculares e do sistema nervoso central (depressão e diminuição da memória), dos ossos e da próstata, entre outros órgãos.
     O tratamento da Andropausa é feito através da reposição de testosterona, pode ser feito de várias formas. Resumidamente, no mundo, existem quatro formas de repor a testosterona, sendo que cada uma delas apresentam diferenças quando a efetividade, comodidade e custos, são eles:
- Injeções intramusculares
- Cápsulas para a via oral
- Sistemas adesivos transdérmicos (os "patches")
- Gel transdérmico
     A reposição de testosterona é um fator imprescindível para prevenir e corrigir vários distúrbios, e hoje se sabe que passa ter um papel importante na qualidade de vida em homens idosos. Por último, sempre quando houver indicação da reposição hormonal em homens, uma avaliação completa deve ser feita, pois a reposição não é isenta de efeitos colaterais, que devem ser avaliados individualmente para julgar o risco-benefício para cada paciente.

 

 

Voltar
   
UROPASSOFUNDO 2010 © |Todos os direitos Reservados |        Powered By Partners Solutions & Technologys